Afoite

Release do EP “Eu Inimigo” do Afoite

O Afoite começa 2020 com lançamento, seu segundo EP, intitulado “Eu Inimigo”, com cinco músicas de muito peso e mensagem. Ele foi gravado na cidade de Sorocaba, sendo o terceiro trabalho produzido pelo Rodolfo Della Violla (Afoite | Inner | Anti Herói Produções) ou Dorfo, para os mais íntimos. Além disso, não podemos deixar de citar que a maioria das captações do material foram feitas no Deaf Haus, estúdio do pessoal do Asteroid Bar.

A ilustração da capa ficou na responsa do Raphael Marciano, que acompanha a banda desde seu início. O Raphael é um grande amigo da banda, além de fazer grandes trabalhos como designer gráfico e ilustrador. A parte de diagramação e todo design gráfico ficaram por conta do Rubrica. São pessoas de Sorocaba que sempre indicamos o trabalho.

As músicas desse novo EP tratam de temas políticos do nosso cotidiano, como luta de minorias, inconformismo, críticas ao jornalismo tendencioso, além de propor ideias de ação e incitação à ação.

Os graves pesados do baixista Felipe Fogaça abrem o EP com “A Voz”, música que já vinha sendo tocada pela banda há muito tempo, mas aqui recebe grandes mudanças de melodia e até desenvolvimento da letra. É uma música que critica a indústria do jornalismo de massa, a sua forma corruptível e as fake news, causando estranheza e gerando desinformação na população.

“Eu Inimigo”, a segunda música, é a que leva o nome do EP. É o som mais longo do material lançado e foi de onde surgiu toda a temática pro projeto. Musicalmente ela traz referências de Point Of no Return, Converge, mas ainda tem aquela cara de Afoite, com riffs matadores do Alex Gomes e uma chamada para o breakdown que dá vontade de sair moshando. Na letra, o tema abordado é da necessidade de pessoas terem que manter suas posições políticas e sociais silenciadas, para não serem agredidas ou afetadas em algum sentido. Além disso, ela fala sobre como ódio e intolerância pelas minorias é uma coisa idiota. Afinal, quem é o verdadeiro inimigo?

Foto por: Felipe Cotto

“Subjugados” é a terceira música, onde a banda brinca com metrônomo e com peso o tempo todo. Tendo diversos andamentos diferentes, lembra alguma coisa dos anos 90 feita pelo Snapcase ou Earth Crisis. Escrita pelo vocalista Gilmar Oliveira, pernambucano nato, traz visões sobre sua vivência, além de xenofobia e problemas cotidianos das grandes metrópoles. Típica música cantada com a voz e com o coração!

“Fogo e Reação”, em tempos onde os KKK não tem vergonha alguma de se expor, onde cada vez mais racistas dão as caras, essa música surge como uma resposta àqueles que se perdem em sua humanidade e passam a ter dificuldade de olhar para o outro. A letra surgiu após uma insatisfação muito grande com um apresentador/jornalista de uma grande emissora, que fez declarações racistas publicamente (sem saber que estava no ar) e basicamente não aconteceu nada com ele. Isso indignou muito, por tudo que estava acontecendo nesse período e segue acontecendo cada dia mais. Referências de Point Of no Return, Amiri, Emicida e Bacurau são encontradas nessa música, que é um soco na cara, ou melhor, é FOGO NOS RACISTAS!

“Apenas Justiça” fecha o EP, começando com um belo dueto das guitarras do Dorfo e do Alex, no melhor estilo peso anos 90, seguido com a rapidez das baterias do Brunão, com o vocal bruto do Gilmar e, como se já não fosse o suficiente, a música tem a participação do Thiago Jesus (Live By the Fist / Direction / Ouse Morrer / tantas outras bandas) com seu vocal rasgado marcante (quem conhece sabe que arrepia qualquer um). Um instrumental com dinâmicas diversas, do jeito que o Afoite gosta de fazer, e uma mensagem muito clara: “reagiremos contra a violência do opressor, queremos justiça!”. Essa música fecha o EP de uma forma direta e, de certo modo, positiva, afinal mostra que saberemos a hora da reação e vamos querer justiça!

Para uma banda de Sorocaba, interior de São Paulo, as condições de fazer gravações, divulgações, de ter apoio de grandes produtores ou mídias e de fazer sua mensagem chegar à mais pessoas, sempre se mostra um caminho mais difícil, pois esse apoio é mínimo ou às vezes quase zero. Mas isso não é motivo de abaixar a cabeça e sim continuar trabalhando forte, pois sabemos que as pessoas que escutarem/entenderem essas mensagens sentirão boas energias para fazer coisas positivas em suas vidas e ser sempre resistência.

O Afoite é Alex Gomes (guitarra e vocais), Bruno Campos (bateria), Rodolfo Della Violla (guitarra), Gilmar Oliveira (vocais) e Felipe Fogaça (baixo e vocais). Suporte pelo Inside A5 & A Saga.

Se você ouviu e gostou, mande para seus amig@s, compre materiais da banda e ajude as bandas independentes à continuar a produzir materiais. Sua participação é sempre essencial para essa movimentação seguir ativa.

 

Veja também