Futebol & Underground | Futebol Político #2Por: Ricardo Huss

Hoje estou com duas saudades, nesse período de quarentena que nos encontramos elas apertam bastante, ambas com a mesma intensidade, a primeira é o bom e velho shows de bandas underground, que frequento, seja como apreciador ou tocando com a Restos e o segundo o futebol, tanto de jogar, quanto de assistir meu time na TV ou no estádio. Então pensando nisso e acreditando que tem mais gente com as mesmas saudades que eu, vou escrever um pouco sobre músicas de bandas que fazem rock falando de futebol, nessa edição, apenas as bandas undergrounds:

 

88 NÃO! – Futebol De Várzea

A primeira aqui da lista é uma velha conhecida, posso dizer que fazem parte da minha família, por que sempre que podem estão por aqui, em casa ou nos meus pais, tocando pelos subúrbios de Tatuí, essa banda chama-se 88Não! Nascidos lá no Sonia Maria, bairro pobre de Mauá em meados de 2000, a banda tem muita inspiração dentro das quatro linhas marcadas de cal, tanto que os integrantes jogam por times da várzea paulistana, como Celeste Proletária, Catadão FC entre outros. A banda é formada por Daniel Miranda na bateria, Nicolas Miranda na guitarra e voz, Lucas Dourado no Baixo e Voz e Fábio na guitarra. Dentre as mais variadas músicas sobre o esporte mais conhecido do Brasil, a que mais gosto é “Futebol de Várzea”, lançado no EP “Futebol” de 2018 e que também integrou o álbum “3 Acordes!”

NA VÁRZEA TODO MUNDO É IGUAL, NÃO EXISTE COR OU CLASSE SOCIAL, NA PONTA DA CHUTEIRA UM CORAÇÃO, CADA PARTIDA JOGADA, UMA DECISÃO!

Flicts – Lá Se Vai o Campeonato

A segunda é a conhecida FLICTS, uma das bandas que mais gosto do cenário independente brasileiro, já rodei quilômetros para conseguir ver um show dos caras e tive o prazer de trocar várias ideias com o vocalista e guitarrista Arthur, que coincidentemente é um repórter esportivo, deve ser dai que vem as inspirações futebolísticas, rs. Nascidos em São Paulo, no ano de 1996, o Flicts traz em suas canções todos os protestos carregados dentro de uma boa banda punk, conflitos da juventude, amores, indignações políticas e sociais e boas doses de três acordes. Dentre canções lindas como Latino América, um verdadeiro hino aos povos latinos, a banda traz uma das músicas de futebol que mais cantei na vida, a maravilhosa “Lá Se Vai o Campeonato”, a canção é iniciada com uma narração de rádio antiga, onde o time da cidade de Pato Branco estava prestes a conseguir o acesso, porém o ídolo do time chuta o pênalti pra fora, e joga o sonho do time no ralo, deixando claro o lado torcedor do narrador!

DOMINGO CHEGOU O GRANDE DIA, MEU TIME NAS FINAIS UMA TARDE DE ALEGRIA.

Tr3sdeCoraZon – Dame Una Alegría

A terceira banda é de fora do Brasil, mas que deixaram seus pés vermelhos quando passaram por Tatuí e consequentemente pelo Brasil em 2016, falamos aqui de uma das grandes banda colombianas, o Tr3z de Corazon! Formada em Medellin, capital da Colômbia e torcedores fanáticos do Atlético Nacional, Sebastian, Jorge, Andrés e Júlio, formam um quarteto de punk rock, com músicas que flertam desde as questões cotidianas até o sagrado esporte bretão, na copa do mundo de 2014 compuseram uma das músicas mais fantásticas sobre amor a uma seleção que já ouvi, chamada Dame Una Alegría, uma linda homenagem a seleção colombiana, com um clipe cheio de participações de peso, como o icônico goleiro Higuita, o gigante Valderrama e grandes jogadores que atuaram muito pelos gramados brasileiros como Asprilla e Aristizabal.
Se você ama futebol e ama punk rock, esse clipe é um prato cheio!

DA ME ALEGRIA A MI CORAZON! DA ME ALEGRIA A SELEÇAO!

Sentimento Carpete – Ferrolho Italiano

A próxima banda da minha lista é uma que conheci por intermédio do Fábio do 88não, que também toca nela (Esse cara só toca em banda massa, haha). Nascida em Santo André (Time campeão da Copa do Brasil de 2004, em cima do Flamengo numa maracá lotadasso) nos idos de 2004, traz inúmeras influências que vão do punk rock até o rockabilly, composta por Felipe, Fábio Muller, Ricardo Arashiro e Rafael Fortunato, lançaram nesses anos todos três excelentes discos, o primeiro em 2013 (Sentimento Carpete), em 2016 veio segundo ( A Sindrome de Tiger Woods) e o mais recente de 2018 (Canta a Los Ancianos), as inúmeras influencias que colocam em suas músicas, como bebedeiras, problemas cotidianos e principalmente o futebol, gostaria de destacar aqui 2 músicas que gosto bastante deles, a primeira chama-se Zidane, que é uma brincadeira, sobre o craque Frances e o problema com os cabelos, haha e a segunda chamada Ferrolho Italiano, um condensado sobre o futebol pragmático da esquadra azzura da Copa do Mundo de 2006.

O IMPORTANTE É GANHAR O MUNDIAL COM UM NA FRENTE JOGANDO MAL!

Desacato Civil – Ódio ao Futebol Moderno

Fechando a lista, uma das bandas que sou fanzão, já pude vê-los aqui em Tatuí e dividir palcos pelos shows independentes da vida, inclusive, um dia fui parado pela policia vestindo uma camiseta deles e o policial ficou meio incomodado com a gravura, tô falando aqui da paulistana Desacato Civil do meu amigo palmeirense Xandi, vocalista, a banda conta ainda com Diego na guitarra, Felipe Suna no Baixo e Ítalo na bateria. Com um EP “ Humano Mercadoria” de 2013 e um álbum “Monumentos de Barbárie” de 2016, o Desacato traz em sua sonoridade hardcore, indignações políticas, questionamentos sobre o modos de vida da sociedade e como o próprio nome da banda muita coisa sobre protestos em músicas Taca Gás e Poder Popular, com uma tour na Europa e participação em um dos maiores festivais do mundo, o Rebellion, os caras continuam trilhando forte os caminhos da música independente, mas dentre todas as músicas a que mais piro é a “Ódio ao Futebol Moderno”, uma critica sobre a forma que o esporte tem sido dominado pelo projeto capitalista.

ÓDIO, ÓDIO, ÓDIO AO FUTEBOL MODERNO!
TORCIDA FALSA E ELITIZADA
SUA PAIXÃO CAPITALIZADA!


 

Existem muitas outras bandas e músicas sobre futebol e demais esportes, listei aqui hoje, apenas algumas que já pude ver ao vivo e costumo ouvir cotidianamente, mas logo em breve retorno para falar de outras, como Fibonattis, Visitantes, Coxas do Rock, Cockney Rejects entre outras e também sobre os diversos times das várzeas brasileiras que jogam por um ideal e tem como trilha sonora muita banda underground.
Salvem o FUTEBOL e o UNDERGROUND!

 

Texto por: Ricardo Huss