[FAIXA A FAIXA] Mar de Lobos – Criaterra

Criaterra é a árvore nascida de uma semente plantada. É o parto do universo. É a Mãe Natureza. É a tempestade tropical. É a fúria das matas. É o barulho do subúrbio. É a ponta da flecha do caboclo. É a raiz que racha o concreto.

Ficha técnica: CRIATERRA
– Ano de lançamento: 2019
– Gravado, mixado e masterizado no estúdio Napô Place em Itapetininga/SP por Gabriel Wiltemburg.

 

Criaterra

 

Sei Que Vou Me Por

Pote: Essa música tem dois significados. A frase “Sei que vou me por a fritar de baixo desse sol” é referente ao lisérgico, contém referências a cogumelo, que nasce no sol depois de dias de chuva, mas também possui relação com o esforço de trabalhadores camponeses e trabalhadores braçais em geral que trabalham de baixo de sol, e a frase “Vou me quebrar pra me reconstruir” é sobre se esforçar mesmo com as dores físicas, o cansaço, as queimaduras e as bolhas nas mãos pra continuar sobrevivendo. Escrevi pensando nos trampos pesados que já fiz na vida e faço ainda.

 

Fúria Triste

Pote: Esse som já fala muito pelo nome, é sobre descontrole e tristeza. A sonoridade é quebrada e pra nós meio que dá a impressão de correr. Temos uma brisa de imaginar o Naruto fazendo aquela corrida clássica emocionado escutando essa música.

 

Criaterra

 

A Ambição Matou o Mundo

Pote: Fala sobre os problemas do mundo no capitalismo, as crises, a guerra a desigualdade tudo que já tornou o mundo um lugar morto. Na situação em que estamos o futuro é uma dúvida devido as ambições assassinas dos donos do poder.

 

Quem Vai Quebrar

Pote e Yuri: Essa é a balada do cd né, é a música mais suave que mostra nossa influencia reggae e nossa diversidade de influências como Reggae, Dub e Ska, inclusive tem um salve do lendário Cleiton Rasta que o Kaue gravou em um show dele rs

 

Endividados

Pote: Essa fala sobre a sofrida vida do artista independente brasileiro que trabalha, trabalha e continua endividado, mas não desiste nunca, uma homenagem a todo mundo que está no movimento e enfrenta as dificuldades. E aquela frase ‘quem segue os passos dos outros não deixa pegadas na areia da praia’’ é pra galera assumir sua essência, afinal nada é mais precioso que independência e liberdade. Esse som também foi uma colab com o Tio Lu e o Gabriel da Strawberry Licor que somaram na produção. Já queria aproveitar e mandar um salve pra galera do Napô Place que produziu essa obra CRIATERRA, que foi nosso primeiro CD cheio. <3

 

Criaterra
Foto por Xinxilah

 

Punhal

Pote: A música é sobre depressão, automutilação, angústia e sobre tantas injustiças e sofrimentos que assistimos acontecer. Consideramos uma das músicas mais pesadas do álbum, tanto o instrumental quanto a letra. A última frase do som é do Eduardo Galeano “A justiça é cega como as cobras que só mordem os descalços”.

 

Acenda

Pote: Fala sobre a possibilidade de controle e a aleatoriedade dos acontecimentos, sobre herdar as situações e sobre conduzir a vida ou ser conduzido por ela, o quanto podemos realmente planejar e concretizar as coisas diante de um rígido e indiferente espaço tempo.

 

A Única Luta

Pote: É sobre sacrifício, sobre luta, justiça, igualdade, acreditar na revolução, é sobre esperança e também uma homenagem a Carlos Marighella, herói de resistência à ditadura militar.

 

Novas Trilhas, Velhas Imagens

Pote: Essa é sobre superação de caminhos novos e a nostalgia, é também sobre apreciar a vitória sobre os medos através da consciência.

 

Ex-Punk

Yuri: Esse som é um tanto curioso: Inicialmente (pelo que eu me lembro kkkk) eu tinha criado uma história de um personagem, um straight edge caído que acabou se afastando da cena punk. Essa letra ficou parada e eu não tinha mostrado pra ninguém, e depois de uns 2 anos o Pote tava em casa e achou ela do nada no meu caderno, disse que curtiu demais a letra e queria usar na Mar de Lobos. Mas quando paramos para analisar ela, parecia que falava muito sobre um falecido amigo, o DVD, então resolvemos ressignificar totalmente a letra que virou uma homenagem a ele.

 

Criaterra
Foto por Xinxilah

 

Caroço

Yuri: Tudo começou em um post num grupo de uma rede social, onde publiquei uma foto de um prato de carne de jaca. Muita gente ficou encantada, mas logo veio uma onda de críticas dizendo que “se parecia demais com carne”. Isso iniciou uma enorme discussão e palavras julgadoras, e comecei a reflexão: pra quê tanto ódio em cima de um prato qual não havia uma gota de sofrimento animal? Será mesmo necessário? Acredito que a imagem de um bife é criação do homem, e a real aparência da carne é o animal vivo e livre. A letra surgiu a partir dessa situação dentro do vegetarianismo, mas vemos cenas parecidas em vários grupos: o sectarismo que enfraquece o movimento.

 

Tem um Tempo

Yuri:  Eu e o pote costumávamos muito ir no pasto fumar um baseado e ficar tocando violão, e a “Tem um Tempo” surgiu assim no improviso. Pra falar a verdade não lembro exatamente o que estávamos sentindo quando criamos essa música kkkk acho que ela fala sobre julgamentos da sociedade por não nos encaixarmos nos padrões. Essa música me vem um monte de lembrança boa e eu gosto que ela tem uma pegada folk que remete ao interiorzão que vivemos.

 

Novo Dogma

Pote: Fala sobre opressão do militarismo sobre o povo pobre, como a autoridade vem trazendo medo pra vida das pessoas com o totalitarismo de viver num estado genocida e elitista onde a guerra pela sobrevivência é cotidiana.

 

—————————————————-

 

Spotify: https://open.spotify.com/artist/48w74mXMeYcuC8joGQq8EM?si=G9eIPBt6RKOJNY8w77cN4Q 

Instagram: https://www.instagram.com/mardelobospunk/

Bandcamp: https://mardelobos.bandcamp.com/

Outras plataformas: https://linktr.ee/Mardelobospunk

[FAIXA A FAIXA] Eskrota – T3RROR

  O T3RROR é um álbum filho da pandemia, quando a banda estava parada e apenas compondo à distância. A ideia de fazer um álbum sobre filmes de terror não […]

Leia Mais

[RESENHAS CÁUSTICAS] PRESTO? – S/T (1999)

O hardcore em São Paulo nos anos 90 tem bastante importância e relevância até os dias de hoje. De nomes a Againe e Small Talk passando por No Violence, Paura […]

Leia Mais

[RESENHAS CÁUSTICAS] Bad Brains – Live at CBGB 1982

A 1ª onda do hardcore americano nos trouxe bandas que são influentes até hoje. Citemos nomes como Teen Idles, Black Flag, Circle Jerks e MDC. E uma das pioneiras da […]

Leia Mais

[RESENHA] Losing Touch – Nosedive

Após um hiato de 2 anos desde seu último EP, Losing Touch é o novo material da Nosedive, banda de hardcore de Bauru-SP. São 5 faixas gravadas entre agosto e […]

Leia Mais

[Resenha] Medida provisória

Por: Marco Sartori No teatro de absurdos do Brasil de 2022, rir de nossas próprias desgraças é o melhor remédio. Com isso em mente, Lázaro Ramos adapta uma peça de […]

Leia Mais

[RELEASE] Mar de Lobos – Pancada

A banda de rock alternativo Mar de Lobos, lançou em abril de 2022 seu mais novo álbum intitulado “Pancada”. O álbum aborda todo o contexto da consciência social, questões pessoais […]

Leia Mais