Entrevista: Escombro lança o novo material,”Cicatrizes”

Escombro é uma banda paulistana de Hardcore, com letras ácidas e instrumental groovado, falamos sobre os problemas sociais mais presentes nas nossas vidas.

 

INSIDE A5: O que podemos esperar desse novo material?
Escombro: Esperem por um Escombro novo. A composição desse registro foi muito desgastante. 2019 foi um ano muito negativo pra todos nós, e isso refletiu no som.
Nesse EP, o Jota fala mais sobre os sentimentos causados pelos problemas políticos e sociais. O que era uma denuncia em terceira pessoa, tornou-se um discurso em primeira pessoa. Desabafos, conselhos e reflexões faz com que ele fale dos mesmos problemas sociais, de uma nova maneira
Com a entrada do Renatinho na guitarra, esperem um som mais técnico que antes, com os mesmos grooves do Felipeles, mas com uma roupagem mais clara e agressiva.

 

INSIDE A5: As influências e referências seguem as mesmas? O que podemos encontrar de novidade?
Escombro: Grande parte das influências seguem as mesmas. O Renatinho tem muitas referências iguais as nossas, entendemos que nem tudo que curtimos se encaixa no Escombro. E essas são as mais interessantes. Ele é um exímio músico que me faz crescer e com sua entrada, a comunicação na composição com o Felipeles melhorou muito. É inegável como ele reformulou a estética sonora.

INSIDE A5: Sobre o que falam as músicas? O que quiseram transmitir com esses sons?
Escombro: Queríamos abordar os mesmos problemas de um outro jeito. Além de falarmos sobre questões politicas, escolhemos abordar reflexões pessoais sobre temas atuais. A ideia é transmitir o sentimento de inconformismo, a energia necessária pra não desistir. Acreditar, lutar, resistir e vencer dia após dia.

 

INSIDE A5: Como funciona o projeto “Hardcore por um mundo mais digno”? Como surgiu essa iniciativa?
Escombro: HARDCORE POR UM MUNDO MAIS DIGNO é nosso lema desde que a banda surgiu. Tem a ver com algumas lições de vida que o hardcore nos trouxe, não é só sobre musica. Também é o nome do nosso Fest que a gente faz com tanto carinho. Nossos eventos, em sua maioria, trabalhamos com ações beneficentes, muitas vezes o arrecadado é destinado pra população de rua, quando não destinados para uma instituição de confiança.

 

INSIDE A5: Como tem sido essa fase atual de pandemia para vocês?
Escombro: A pandemia exigiu que mudássemos a forma de trabalho. O digital se mostrou como a melhor alternativa. Quando necessário se encontrar para produzir, sempre com equipe enxuta e todos se cuidando.

INSIDE A5: O que vocês indicam para quem está lendo essa entrevista?
Escombro: Bandas: Bare Knuckle, MEE (meeisdead), Obscvre Ser, Wake Late, De Carne e Flor, Amorfo, Fim da Aurora, Institution.
Livro: 1984 (George Orwell)
Filmes: Brazil (1985), A noite de 12 anos.
Séries: Os olhos que Condenam, Explicando (mente).
Documentário: Hip Hop Evolution, Boston Beatdown: See the World Trough Our Eyes.

 

INSIDE A5: Quais são os próximos objetivos a alcançar com a banda? O que podemos esperar para os próximos meses?
Escombro: Estamos estudando a possibilidade de compor um feat pra ser lançado pós Cicatrizes. Até então, com exceção do Gallero (ex-Thell Barrio), que gravou a faixa “Hijos de la Calle”, todos as participações tinham sido do estado de São Paulo. E se o próximo feat fosse com alguém de fora de SP. Até então, todas as participações tinham sido do HC/Metal. E se o próximo feat fosse de alguém de fora do HC/Metal.
Estamos estudando ainda.

 

INSIDE A5: Considerações finais:
Escombro: Muito obrigado pelo espaço Inside A5! Esperamos voltar mais vezes.
Pra quem não conhece a banda, seja bem vindo, nós somos o Escombro, se você tem uma visão de valores humanista, repudia a intolerância e não se curva pra autoritarismo, sua luta e a nossa são as mesmas.
Pra quem já conhece a banda, obrigado pelo carinho! Procurem essa bandas que a gente citou aqui acima. LEIAM as letras do Escombro: evite paradoxos políticos.

—————————————————-

 

Links importantes sobre a banda:

Facebook: https://www.facebook.com/ESCOMBRO.HC

Instagram: https://www.instagram.com/escombro.hc/?hl=pt-br

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCZJCeuKxwcNo8bGOYf08Lvg

Deezer: https://www.deezer.com/br/artist/9357072

Spotify: https://open.spotify.com/artist/11PXwcpndk1zz25pgz8uDY

[NEM MAIS UM GOLE] – Entrevista com Andreza Poitena

Andreza, 43 anos, é entre outras coisas, punk, anarquista e autodidata. Abandonou o futebol profissional pelo universo que o punk lhe proporcionava, montou e monta bandas, espaços subversivos, subverte a […]

Leia Mais

[NEM MAIS UM GOLE] – Entrevista com Cibele Minder

Meu nome é Cibele Minder, tenho 32 anos, sou uma sapatão de São José dos Campos, mas vivo atualmente na capital $P. Trabalho como luthier, consertando e construindo instrumentos de […]

Leia Mais

[NEM MAIS UM GOLE] – Entrevista com Carol Rocha

Carol Rocha, 28 anos, vegan e straight edge, bissexual. Diagramadora, às vezes ilustradora, ex-baixista e agora vocalista da Gulabi. Metaleira que ama kpop e odeia metaleiro.     Leo Cucatti: […]

Leia Mais

[NEM MAIS UM GOLE] – Entrevista com July Salazar

Olá, meu nome é July Salazar, tenho 30 anos, vivo em Lima, Peru, sou graduada em administração e negócios internacionais, trabalho em um provedor de suprimentos abrangente, tenho uma banda […]

Leia Mais

[NEM MAIS UM GOLE] – Entrevista com Leo Mesquita

Trabalhador comum brasileiro tentando sobreviver. Guitarrista e vocalista da banda Surra. Vegan sXe sem ilusões de um mundo perfeito. Já passou meses sem lavar o cabelo.   Leo Cucatti: Quando […]

Leia Mais

[RESENHAS CÁUSTICAS] MORE THAN THE X ON OUR HANDS

[RESENHAS CÁUSTICAS] MORE THAN THE X ON OUR HANDS – A WORLDWIDE STRAIGHT EDGE COMPILATION (2000) Commitment Records   Box set dividido em 6 vinis 7″, sob a iniciativa de […]

Leia Mais