Archote entrevista

Inside A5 entrevista Archote XVX

Banda Vegan Straight Edge Metal 90s. Em defesa da libertação animal e humana.

INSIDE A5: Como foi a iniciativa de começar a banda? O que mudou na vida de vocês desde que esse projeto deu seu pontapé inicial?
Erick Farias: A banda começou através do Fabrício e do Deda, na sequência o Suka entrou e a banda deu início a ensaios sem um baixista. Algum tempo depois eu entrei e começamos a reformular as músicas. Sobre mudar a vida, o hardcore sempre ensina a gente no dia a dia como pessoa e através da mensagem do som você também ensina então acho que é isso sempre uma troca.

Fabricio Pereira: Eu sempre quis ter uma banda mais na pegada vegan metal. Pois é meu estilo de som preferido. Basicamente não mudou muita coisa.

Deda: na minha vida pessoal fez criar vínculos de amizade com os rapazes da banda e aprendo muito convivendo com eles. No mais não mudou muita coisa continuo com os mesmos princípios independente de ter banda .

Suka: A iniciativa foi de comum acordo estávamos sentido a falta de uma banda com essa pegada de som e idéias já havia tocado com o Erick em outras bandas, já rolava um entrosamento, então inicialmente ele não fazia parte da banda, mas quando entrou completou o time de forma perfeita.

 

INSIDE A5: Como foi o processo de criação e gravação do EP? Gostaria que vocês comentassem também um pouco sobre as músicas …
Fabricio Pereira: Basicamente o Deda que cria as levadas de guitarra e envia o áudio, nos criamos uma letra, eu faço a música e deixamos redondinha nos ensaios. As músicas do nosso EP basicamente são um grito fúria colocando tudo pra fora. No nosso EP tratamos bem de temas como Veganismo é a vida livre drogas.
Temos uma música que fala sobre os testes em animais que se chama Terror Científico e uma outra que fala sobre a exportação de animais vivos que se chama Ancorado no Abismo. Todos têm máxima liberdade para escrever sobre suas angústias e vivências, não existe letrista na banda.

 

INSIDE A5: O que a filosofia Straight Edge muda na sociedade? O que vocês opinam sobre a legalização de drogas?
Fabricio Pereira: Eu acho que a legalização das drogas é o caminho mais correto para quebrar com o tráfico e todo esse sistema que basicamente extermina os pobres. Mais creio que um país como o Brasil ainda não está preparado para isso.

Deda: A indústria das drogas lícitas ou ilícitas faz parte de uma estratégia de dominação, entorpece as pessoas e torna seu comportamento previsível e assim fácil de ser manipulado. A venda e distribuição das drogas nos moldes atuais favorece vários setores, por isso não há interesse em modificar esse formato.

Erick: Em uma sociedade onde doenças como depressão está em alta, o Straight Edge vem como uma ferramenta positiva para livrar alguém de vícios ou substâncias que altere seus pensamentos, isso me mudou nos anos 2000 e acredito que ainda faça a diferença na cabeça de muita gente. Sobre legalizar, esse poderia ser o melhor caminho, mas como disse o Deda não há interesse em mudar o atual formato.

 

INSIDE A5: Vocês são uma banda VEGAN que sempre além de levar a mensagem estão fazendo eventos em prol dos animais e da causa. O que acham sobre o Veganismo estar fazendo parte de grandes indústrias e da mídia num geral? Isso é positivo ou negativo?
Fabricio Pereira: Acho positivo porque seja como for: ”moda”, “bem estar ou “estilo de vida”, os animais estão deixando de morrer. Claro que muita coisa feita é só como nicho de mercado e é importante sempre lembrar que o Veganismo a luta por uma vida mais igualitária para todos e a ação direta pela libertação dos animais é a nossa luta.

Deda: Quanto mais pessoas adotarem mais vidas serão poupadas, o veganismo não deve ser algo marginal (dentro do contexto específico do punk ou outros movimentos contra culturais) muito menos elitista (dirigido por celebridades que se julgam formadoras de opiniões). Pensamos que ele deve ser popularizado e acessível a todos.

 

INSIDE A5: Que bandas são referências de vocês? O que costumam ouvir em casa?
Erick Farias: Ouço de tudo um pouco, desde samba, jazz, hardcore, metal até rap. Falando em bandas Sick of It all, Earth Crisis, Living Colour, Bezerra da Silva, tenho escutado muito os discos do Eduardo (ex Facção Central).
Fabricio Pereira: Legião Urbana, Guilherme Arantes, Jorge Ben, Earth Crisis, Reprisal, e por ai vai …
Deda: Punk Crust, Metal anos 80 … basicamente.
Suka: Ouço bandas que sempre me influenciaram não só musicalmente, mas pela postura também, como Napalm Death, Dropdead, Crudos, Disrupt, etc.
Ouço também Bauhaus, Sisters of Mercy, Morbid Angel, Discharge, Wolf Brigade, Lobotomia, I Shot Cyrus, etc.

 

INSIDE A5: Existe algum livro|filme|série|documentário que vocês indicam para quem está lendo essa entrevista?
Erick Farias: A última série que assisti e achei muito boa “Dark”
Deda: Livros sobre anarquismo é o que mais leio , o último “Sociedade Sem Escolas” do Ivan Illich.
Suka: Livros bem variados, tais como Freud Bhagavad Gita, Livros de Anatomia. Séries eu curto “Stranger Things” e “Evil Dead”.

 

INSIDE A5: O quanto a política está envolvida com a música para vocês? O que as bandas podem fazer para ajudar nesse caos de alguma forma?
Deda: Sigo princípios anarquistas. Uma banda pode suscitar algumas reflexões, a partir disso provocar algumas mudanças individuais, como o punk me trouxe questionamentos e a partir disso procurei me desconstruir e esse processo é contínuo.
Fabricio Pereira: Quero distância de política e politicagem, sou anarquista em seu sentido mais puro da palavra se assim posso dizer. Acredito que uma sociedade igualitária começa onde todo e qualquer ser tem direitos iguais.

 

INSIDE A5: O que podemos aguardar para os próximos semestres? O que desejam alcançar a longo prazo?
Erick Farias: Tocar em todos os lugares possíveis, divulgar o novo single “Donos do Poder” e continuar o processo de composição que iniciamos esse ano para um futuro disco.
Fabricio Pereira: Em 2020 lançar um full álbum ou um vinil 7 polegadas e fazer alguns shows Brasil a fora e quem sabe pela América do Sul.
Deda: Fazer shows e compor músicas para um Full.
Suka: estamos querendo produzir mais, gravar novas músicas, lançar mais material em diferentes formatos

 

INSIDE A5: Considerações finais:
Erick Farias: Muito obrigada pelo espaço, parabéns pelo corre de sempre que vocês fazem e para quem estiver lendo: CONSIDEREM O VEGANISMO!
Fabricio Pereira: Obrigado pelo espaço. Paz.
Deda: Muito obrigado pelo espaço. Abra seu coração para o veganismo, que é uma busca por justiça social.
Suka: Estamos ai pra derrubar barreiras e preconceitos que existem acerca das escolhas pessoais que todos nós fazemos, ter uma linha de pensamento, não quer dizer que somos contra outros pontos de vista e pessoas. Apenas acredito em escolhas pessoais.

 

_______________________________________________________________________________________

 

Acompanhe o trabalho deles:

Veja também